Histórias de sucesso

Histórias de sucesso #56: Thiago Augusto Lopes de Morais– TJAL

Olá pessoal!

Hoje o histórias de sucesso é com Thiago Augusto, aprovado no TJAL!

Ele gentilmente nos concedeu a entrevista que segue:

Nome: Thiago Augusto Lopes de Morais

Data de nascimento: 15/01/1991

Naturalidade: Natal

01 – Concurso(s) para magistratura qual(is) foi aprovado:

R: TJAL; TJPB (Não pude fazer a prova oral por não possuir, à época, três anos de atividade jurídica); TJPI (abandonei o concurso na oral, após aprovação no TJAL).

02 – Outros concursos em que foi aprovado:

R: TJDFT (Analista)

03 – Período de estudos até a primeira aprovação em concursos de magistratura:

R: Do início dos estudos para concurso até o resultado final do certame (títulos) foi 1 (um) ano e  6 (seis) meses.

04 – Trabalhou durante os estudos? Cargo?

R: Sempre trabalhei enquanto estudava. Assessor Jurídico no Ministério Público Estadual.

05 – Tempo médio de estudos diário:

R: Aproximadamente 6h.

06 – Quantas matérias diferentes lia por dia? E em uma semana?

R: Duas ou três. Na semana costumava ver todas as seis principais (constitucional, administrativo, penal, processo penal, civil e processo civil) de modo fixo, e intercalava as matérias periféricas (eleitoral, eca etc.), semana sim e semana não.

07 – Estudava sábados/domingos/feriados?

R: Estudava sábados, domingos e feriados. Praticamente anulei minha vida social, pois se saísse na noite anterior, acabava perdendo parte do dia seguinte. No tempo que estudei, eu respirava concurso. Isso contribuiu para que eu lograsse êxito rápido. Do início dos estudos até a aprovação na primeira fase foram 5 (cinco) meses. Contudo, não acho que essa seja a maneira mais correta de se conduzir a caminhada até a aprovação, sobretudo levando em consideração que estudo para concurso deve ser pensado a longo prazo e o candidato precisa ter uma rotina de estudos que ele consiga cumprir durante esse tempo, sem desistir ou esmorecer. Por isso, é importante que seja reservada uma parte para a vida social, para o descanso, para o lazer. Errei durante a minha preparação nesse quesito e isso fez com que, embora o caminho tenha sido mais curto (tive sorte, pois poderia ter sido mais longo – como normalmente é – e aí eu não teria aguentado) acabou sendo muito pesado. 

08 – Utiliza grupos de facebook/whatsapp para estudar? Acredita que valha a pena?

R: Não utilizava grupos para estudar. Quando passava nas primeiras fases eu entrava nos grupos para as discursivas e sentenças dos concursos em que estava participando. Acho que valeu muito a pena a troca de experiência e a permuta de materiais nessas etapas, principalmente com relação às matérias de humanística. Não recomento, contudo, que o candidato se envolva em longas discussões em grupos e nem se preocupe com as perguntas absurdas ou super difíceis que os colegas costumam postar nesses grupos, há muito terrorismo e não podemos nos deixar desestabilizar achando que não sabemos certos assuntos que são abordados e que os concorrentes estão muito a nossa frente.

09 – Fazia resumos/cadernos ou utilizava algum feito por outras pessoas?

R: Utilizava os cadernos do CERS/LFG.

10 – Fazia revisões do estudo nos moldes propostos por coachings (24h, 48h, 7 dias etc)? Com qual frequência?

R: Fazia revisões no esquema 24h, 48h, uma semana e mês a mês, religiosamente. Possuía uma agenda em que anotava e detinha o controle das revisões.

11 – Com qual frequência fazia exercícios para prova objetiva? Costumava usar algum site, aplicativo ou livro para fazer os exercícios?

R: Realizada exercícios todos os dias. Utilizava o QCONCURSOS.

12 – Com qual frequência lia “lei seca”?

R: Lia lei seca todos os dias. Separava as matérias de acordo com os dias da semana, de maneira que quando eu acordava na terça, por exemplo, já sabia quais matérias eu deveria ler e normalmente lia em média 7 páginas por dia. Lia e quando finalizava (toda a lei), tornava a ler do início.

13 – Com qual frequência lia jurisprudência? Lia diretamente dos sites dos Tribunais Superiores ou através de outros sites (como dizer o direito ou EBEJI)?

R: Deixava a jurisprudência para o domingo, para ter um dia “mais leve”. Lia pelo site do Dizer o Direito. Revisava os informativos quando completava 30 dias da leitura.

14 – Indicaria algum curso online com foco em magistratura/carreiras jurídicas?  Indicaria algum curso de oratória para a fase oral?

R: Não fiz cursos on-line, pois trabalhava e não tinha tanto tempo disponível. Para a fase oral fiz MEGE e Espaço Jurídico (TJPB) e Espaço Jurídico e AEJUR (TJAL). AEJUR é um ótimo curso e recomendaria, sobretudo, para candidatos que estão em uma prova oral de responsabilidade da CESPE. Espaço Jurídico, por outro lado, conhece muito bem o estilo de prova da FCC e seus examinadores, pelo que recomendo fortemente.

15 – Indica algum método diferenciado de estudos para alguma das fases (objetiva/discursiva/sentenças/oral)?

R: Eu não estudei especificamente direcionado para a primeira e nem segunda fase. Mesclava os dois na minha preparação. Não acho que valha a pena se preparar apenas para a primeira para, somente quando aprovado, estudar para a segunda, pois dois meses não são suficientes para se ganhar a bagagem que as provas discursivas exigem. Recomento, portanto, que o candidato mescle o estudo de lei seca e questões com a leitura, pelo menos, de resumos e sinopses, para formar uma base doutrinária que possibilite, nos dois meses que separam a objetiva e discursiva, apenas revisar assuntos mais importantes e se preparar para as sentenças, que exigem um estudo diferenciado.

16 – Estudava a banca/examinadores responsável pela elaboração das provas da segunda fase em diante?

R: Apenas para as provas orais.

17 – Se o tribunal é responsável pela elaboração das sentenças e tem um posicionamento diverso do pacificado nos Tribunais Superiores, adotaria qual posicionamento?

R: A Banca Examinadora gosta de ter seu posicionamento abordado e privilegiado,  de modo que tal fato não pode ser ignorado. Contudo, o posicionamento dos tribunais superiores também merece menção, até porque face a eventual recurso ou questionamento, é esse entendimento que fornecerá um suporte mais sólido ao seu pleito. Em suma, os dois posicionamentos merecem ser abordados, contudo face a um entendimento consolidado de um Tribunal Superior, adotaria este, até por razões de segurança jurídica diante da necessidade de eventual recurso.

18 – Caso queira deixar uma mensagem final a quem ainda está em busca da aprovação, fique à vontade:

R: Colegas, sei que a caminhada não é nada fácil e muitas vezes nós nos questionamos se, de fato, em algum momento, chegaremos lá. A resposta é bem curta: sim. Concurso, como muitos costumam dizer, é uma fila… Só não passa quem desiste. Mas não basta apenas esperar, logicamente; é preciso fazer a nossa parte. Não adianta estudar 10 horas por dia sem se planejar, não adianta estudar 10 horas por dia, durante duas semanas, e passar uma semana sem pegar nos livros de modo regular. Acho que a palavra-chave para o sucesso é uma só: disciplina. Crie uma rotina, estabeleça o concurso como sua prioridade. Tenha isso em mente: tornar-se juiz deve ser uma prioridade nessa jornada. Ser prioridade significa que você terá que abrir mão de algumas coisas durante a caminhada. Você não será o(a) namorado(a) mais presente; você não será o filho(a) mais dedicado(a); você não terá o corpo mais sarado; você não será o amigo(a) mais participativo(a); você não se divertirá como gostaria; mas você será alguém que está em busca de um objetivo e cada vez mais se aproxima de alcançá-lo. Lembre-se que esse é um desejo seu, as pessoas não vão entender o quanto isso é importante e, talvez, não entendam todas as renúncias que você estará a fazer, mas não importa, siga em frente. Sempre que batia o cansaço, eu parava um tempo e imaginava o dia da minha aprovação, como eu iria comemorar, como meus pais e minha família iriam ficar felizes, e isso me motivava a continuar. No final do dia, depois de cumprir minhas metas, sentia que tinha dado mais um passo. De passo em passo, com regularidade e disciplina, alcancei a aprovação, assim como qualquer um que persista e estuda acabará alcançando. Portanto, é isso: seja disciplinado, persevere. Estude todos os dias, faça um cronograma diário que você seja capaz de seguir e não desista jamais. Já dizia Cora Coralina: “mesmo quando tudo parece desabar, cabe a mim decidir entre rir ou chorar, ir ou ficar, desistir ou lutar…”. Que a primeira opção de vocês nunca seja desistir!

                                                           BIBLIOGRAFIA

Quais livros/autores ou cursos/cadernos indicaria para os estudos nas matérias abaixo (se possível, especificar o professor de cada matéria nos cadernos/cursos):

Direito Administrativo – Sinopse Juspodivm

Direito Ambiental – Sinopse Juspodivm

Direito Civil – Tartuce

Direito Constitucional – Lenza

Direito do Consumidor – Felipe Peixoto

Direito do Eleitoral – Sinopse Juspodivm

Direito Empresarial –  André Luiz Santa Cruz Ramos

Direito da Criança e do Adolescente – Sinopse Juspodivm

Direito Penal – Parte Geral – Rogério Sanches

Direito Penal – Parte Especial do Código Penal – Sinopse Juspodivm

Direito Penal – Legislação extravagante –  Leis especiais Juspocivm

Direito Processual Civil – Daniel Assumpção Neves

Direito Processual Penal – Sinopse Juspodivm

Direito Tributário – Ricardo Alexandre

Humanística – Materiais variados

Sentença Cível – Materiais variados e de cursos

Sentença Penal – Sentença Penal Condenatória (Ricardo Schmidt)

É isso! Até a próxima!

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s